Argentina – Lanin

O vulcão Lanin está localizado na fronteira entre a Argentina/Chile no limite sudeste da cadeia vulcânica formada conjuntamente com os vulcões Quetrupillán e Villarrica. O Lanin é um vulcão composto construído principalmente por lavas de composíção basáltica, andesítica e dacítica. Seu cume alcança 3.747 metros acima do nível do mar e localiza-se a 2.500 metros acima da topografia circundante. Ele cobre uma área de aproximadamente 220 km2 e possui um volume estimado de 180 km3. O vulcão Lanin tem uma forma próxima da cônica, com taludes íngremes parcialmente cobertos por geleiras. Um domo, que produziu um fluxo de lava blocosa, preenche a área do cume sobre o flanco norte. O vulcão Lanin está no mínimo há dois séculos em repouso.


A primeira vez que vi o vulcão Lanin foi durante a viagem até a cidade de San Martin de los Andes. O vulcão ainda estava ainda muito distante, mas já era possível se observar a imponência do cone vulcânico sobre a topografia montanhosa ao redor. 

 

Agora um pouco mais próximo, na estrada que liga a cidade de Junin de los Andes ao Parque Nacional Lanin, localizado junto a fronteira Argentina/Chile, destaca-se no horizonte o edifício vulcânico do vulcão Lanin, com o cume coberto por neve e geleiras. Em primeiro plano, é possível observar uma rocha provavelmente subvulcânica, talvez um sill de diabásio, com características disjunções colunares.

As próximas três fotografias mostram o cone vulcânico já bem mais próximo. Nas primeiras duas, ainda no lado argentino, observa-se claramente a geleira que está posicionada no cume do vulcão, enquanto que na terceira foto, já no lado chileno da fronteira, nota-se o ponto onde ocorreu a extrusão de lava durante uma erupção de flanco.

A sequência de fotografias a seguir mostra o flanco sudeste do edifício vulcânico, onde está localizada a principal geleira do cume da montanha. O penhasco de gelo que limita a geleira tem em torno de 100 metros de altura. Percebe-se claramente que se ocorrer uma nova erupção no vulcão Lanin nos próximos anos, mesmo que de pequenas dimensões, a região imediatamente abaixo do flanco sudeste será profundamente impactada pelo derretimento parcial ou total da geleira. Podem ser gerados possantes lahars e fluxos de detritos que irão se deslocar pelas drenagens que se originam na montanha, o que poderá provocar sérios danos às propriedades rurais e para os habitantes da região.

Para finalizar, a série de fotografias a seguir mostra um passeio muito agradável de lancha de turismo pelo Lago Huechulafquen (Argentina). O passeio custou em 2006 cerca de R$ 13,00 por duas horas. O lago possui uma profundidade aproximada, segundo informações de guias locais, de 500 metros na sua porção mais profunda. O caís de atracamento está localizado em um leque deltaico vulcanoclástico (visto nas três últimas fotografias), construído a partir da deposição dos fragmentos vulcânicos carregados pelas drenagens fluviais para o lago.

Para mais informações geológicas sobre o vulcão Lanin consultar o artigo (em inglês) de Lara et al (2004) publicado na Revista Geológica de Chile no link
http://www.scielo.cl/scielo.php?pid=S0716-02082004000200004&script=sci_arttext

 

©2018 VULCANOtícias     -     Erupções | Vulcanologia | FotografiasFale Conosco

 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?