Dicionário de Vulcanologia

Este dicionário foi inicialmente baseado no glossário presente no site Volcano World, mas foi modificado e ampliado posteriormente, com a adição de novos termos técnicos.

As palavras entre “aspas” não possuem tradução adequada para a língua portuguesa, sendo portanto aconselhável que se mantenha o termo sem modificação.

A

  • ” ‘A’a “: Palavra de origem havaiana utilizada para descrever um fluxo de lava no qual a superfície é quebrada em fragmentos irregulares, ásperos e angulares.
  • Acessórios (Accessory): Um mineral no qual a sua presença não é essencial para a classificação petrográfica da rocha.
  • Acidental (Accidental): Fragmentos de rochas não-vulcânicas ou vulcânicas encontrados em um depósito vulcânico não diretamente relacionados ao vulcão que está erupcionando.
  • Aglutinados (Agglutinate): Um depósito piroclástico consistindo de uma acumulação de ejetos plásticos formados por coerência dos fragmentos após a solidificação.
  • Andesitos (Andesite): Rochas vulcânicas (ou lavas) com características de cor medianamente escuras, conteúdo de sílica (SiO2) entre 54 a 62% e moderadas quantidades de ferro (Fe) e magnésio (Mg).
  • Arco Vulcânico (Volcanic Arc): Um cinturão geralmente linear ou levemente curvo de vulcões acima de uma zona de subducção. Inclui também as rochas plutônicas ou vulcânicas formadas nesta estrutura.
  • Avalanche (Avalanche): Uma grande massa de material ou misturas de materiais que escorregam ou deslizam rapidamente sob a ação da força da gravidade. Avalanches muitas vezes são classificadas pelo seu conteúdo, tais como neve, gelo, solo, ou avalanches de rochas.
  • Avalanche de Detritos (Debris Avalanche): Um rápido e incomum deslizamento ou escorregamento de massas de rochas e outros materiais. Uma das maiores avalanches de rochas documentadas foi a que envolveu a erupção do Monte Santa Helena, nos Estados Unidos, em 18 de maio de 1980. Essa avalanche de detritos consistiu de um movimento rápido de massa que incluiu rochas vulcânicas e piroclásticas fragmentadas, água, neve, gelo e árvores.

 

B

  • Basalto (Basalt): Rocha vulcânica (ou lava) que caracteristicamente é escura na cor, com conteúdo de sílica (SiO2) entre 45 a 54%, e geralmente, rica em ferro (Fe) e magnésio (Mg).
  • Bloco (Block): Fragmentos angulares de rocha sólida ejetados durante uma erupção, com tamanho igual ou superior a 25,6 cm.
  • Bolha (Blister): Uma protuberância da crosta de um fluxo de lava formado por um sopro de gás ou vapor abaixo da superfície. As bolhas podem possuir em torno de 1 metro de diâmetro.
  • Bomba (Bomb): Fragmentos de rocha fundida ou semi-fundida, com que variam entre 6,4 cm e 25,6 cm, ejetados durante uma erupção. Por causa de condição plástica, as bombas muitas vezes modificam sua forma durante o vôo ou impacto com o solo.

C

  • Cabelo de “Pele” (Pele Hair): Um vidro natural com forma de fio formado por sopros em fontes quietas de lava fluída, cascatas de lavas, ou fluxos turbulentos. Um único cabelo, com diâmetro menor que a metade de um milímetro, pode ter comprimento de até dois metros.
  • Caldeira (Caldera): Uma depressão vulcânica com forma de bacia; por definição, tem que possuir no mínimo 1 km de diâmetro, podendo atingir até mais de 60 quilômetros. Tais grandes depressões são tipicamente formadas por subsidência explosiva de vulcões.
  • Câmara Magmática (Magma Chamber): A cavidade subterrânea contendo magma líquido que alimenta um vulcão.
  • Cinza (Ash): Partículas finas de rocha vulcânicas pulverizada emitidas a partir de um conduto explosivo em um vulcão. Cinzas são partículas menores que 2 mm em diâmetro, podendo ser quando erupcionadas, tanto sólidas ou fundidas. A variedade mais comum é a cinza vítrica (partículas vítreas formadas por bolhas de gás que explodem no magma líquido).
  • Chaminé (Pipe): Um conduto vertical abaixo de um vulcão, no qual materiais magmáticos se deslocaram. São comumente preenchidos por brechas vulcânicas e fragmentos de rochas mais antigas.
  • Circo (Cirque): Uma estrutura com forma de ferradura, com paredes íngremes, formada por uma grande erupção com o colapso da porção interna do edifício vulcânico (como a erupção do vulcão Santa Helena em 1980) ou através de erosão de uma montanha através do movimento de geleiras localizadas no seu cume e flancos. Também conhecido como anfiteatro.
  • Círculo do Fogo (Ring of Fire): A região de montanhas, vulcões e terremotos que circunda o Oceano Pacífico.
  • Coluna Eruptiva (Eruptive Column): A coluna de gases, cinzas e fragmentos rochosos maiores que ascendem a partir de uma cratera ou outro tipo de conduto. Se a coluna tem volume e velocidade suficiente, pode alcançar muitos quilômetros de altura na atmosfera, onde altos ventos poderão transportá-la por longas distâncias (sinônimo de pluma eruptiva).
  • Conduto (Vent): A abertura na superfície terrestre através da qual materiais vulcânicos atingem à superfície.
  • Conduto (Conduit): Uma passagem para o magma dentro de um vulcão.
  • Conduto Central (Central Vent): Uma abertura vulcânica na superfície terrestre de forma cilíndrica ou tubular.
  • Conduto Eruptivo (Eruptive Vent): A abertura através do qual o material vulcânico é erupcionado.
  • Cone de Escória (Scoria Cone): Um cone vulcânico construído inteiramente de fragmentos piroclásticos.
  • Cordilheira Oceânica (Ridge Oceanic): Uma grande cordilheira vulcânica montanhosa submarina.
  • Cortina de Fogo (Curtain of Fire): Uma fileira de fontes de lava coalescentes ao longo de uma fissura; uma feição típica de erupção do tipo Havaiana.
  • “Coulee” (Coulee): Uma extrusão de lava que possui aspectos tanto de um domo de lava como de um fluxo de lava. Geralmente é um domo de lava que experimentou algum fluxo para longe do conduto.
  • Cratera (Crater): Uma depressão normalmente circular, com paredes íngremes, formada tanto por explosão ou como colapso do conduto vulcânico.
  • Cratera de Afundamento (Pit Crater): Uma cratera, não relacionada com erupções, formada por afundamento da superfície.
  • Criptodomo (Cryptodome): Intrusão rasa (próxima a superfície) de magma dentro do cone do vulcão.
  • Crosta Continental (Continental Crust): Camada sólida e externa da terra, que inclui as rochas dos continentes.
  • Crosta Oceânica (Oceanic Crust): A crosta terrestre que está abaixo dos oceanos.

D

  • Dacito (Dacite): Rocha vulcânica (ou lava) que caracteristicamente possui cor clara, conteúdo de sílica (SiO2) entre 62 to 69% e moderadas quantidades de sódio (Na) e potássio (K).
  • Deriva Continental (Continental Drift): A teoria na qual o movimento horizontal da superfície da Terra provoca os movimentos relativos lentos dos continentes, aproximando-se ou afastando-se uns em relação aos outros.
  • Diatrema (Diatreme): Condutos vulcânicos do tipo chaminé preenchida com detritos vulcanoclásticos. Diatremas são somente expostas na superfície por erosão, e portanto, são geralmente somente encontradas em sucessões vulcânicas antigas. Elas podem ser muito importantes economicamente.
  • Dique (Dike): Uma intrusão ígnea tabular que corta o acamadamento das rochas encaixantes.
  • Domo de Lava (Lava Dome): Uma massa, com taludes íngremes, de lavas viscosas extrudidas a partir de um conduto vulcânico (muitas vezes circular). Eles podem possuir flancos íngremes ou serem tabulares em perfil, ou ainda possuir contornos circulares, elípticos ou irregulares. O diâmetro varia desde alguns metros até vários quilômetros, e a altura varia desde alguns metros até mais de 1 km. Seu topo pode ser espinhoso, arredondado ou plano. Sua superfície é muitas vezes áspera e pode conter muitos blocos como resultado da fragmentação da crosta externa fria durante o crescimento do domo.  Ainda que domos podem conter diversas composições de sílica, a maioria tem relativamente elevados conteúdos de SiO2.

E

  • Embasamento (Basement): São as rochas não diferenciadas que estão abaixo do material rochoso de interesse em determinada área.
  • Ejetos (Ejecta): Materiais que são arremessados por um vulcão, incluindo material piroclástico (tefra) e bombas de lava.
  • Energia Geotermal (Geothermal Energy): Energia derivada derivada do calor interno da terra.
  • Episódio (Episode): É um evento vulcânico que é distinguido por sua duração ou estilo.
  • Epicentro (Epicenter): O ponto da superfície da Terra situado diretamente acima do foco (hipocentro) de um terremoto.
  • Erupção (Eruption): O processo pelo qual materiais sólidos, líquidos, e gasosos são ejetados para a atmosfera terrestre e sobre a superfície terrestre por atividade vulcânica. Erupções variam desde fluxos quietos de rocha líquida até expulsões extremamente violentas de material piroclástico.
  • Erupção de Flanco (Flank Eruption): Uma erupção originada em um flanco (encosta) de um vulcão (contrasta com as erupções de topo ou de cume).
  • Erupção Estromboliana (Strombolian Eruption): Um tipo de erupção vulcânica caracterizada por discretas explosões a intervalos periódicos de alguns segundos, minutos ou horas. Associado a estas explosões formam-se jatos ou fontes de lava basáltica emitidos a partir de um conduto central. Estas erupções são um pouco mais violentas do que as do tipo havaiana. As erupções do tipo estrombolianas produzem grandes quantidades de escórias e cinzas, empilhadas em torno de um conduto, formando um cone. Durante as erupções estrombolianas, os gases magmáticos são liberados em discretas explosões, muitas vezes rítmicas, que ejetam uma “chuva” de fragmentos de lava incandescentes (spatter) ou piroclastos.
  • Erupção Freática (Phreatic Eruption): Uma erupção vulcânica explosiva formada quando calor e água combinam para fragmentar as rochas vulcânicas pré-existentes (já formadas), produzindo uma explosão violenta de vapores e rochas pulverizadas, sendo que nenhum magma novo é diretamente envolvido.
  • Erupção Freatomagmática (Phreatomagmatic Eruption): Uma erupção vulcânica explosiva que resulta da interação superficial ou subsuperficial de água e magma. O termo “Surtseiniana” é muitas vezes usado para erupções que ocorrem dentro da água do mar, similares a aquelas que ocorreram quando da formação da ilha de Surtsey no litoral da Islândia.
  • Erupção Havaiana (Hawaiian Eruption): Um tipo de erupção explosiva relativamente suave envolvendo tanto fontes de lava como fluxos de lava basálticos de baixa viscosidade e pequena quantidade de cinzas e escórias. Próximo ao conduto formam-se depósitos de respingos (spatter) que podem levar a construção de “cinder e spatter cones”. O material incandescente ejetado pelas fontes de lava podem coalescer e formar grandes fluxos de lava.
  • Erupção Pliniana (Plinian Eruption): Uma erupção explosiva no qual uma corrente turbulenta de magma e gases magmáticos é liberada explosivamente a altas velocidades a partir de um conduto. Grandes volumes de tefra e elevadas colunas de erupção são caracteristicamente formadas.
  • Erupção Vulcaniana (Vulcanian Eruption): Uma explosão vulcânica, ou uma série de eventos explosivos, de pequeno a moderado tamanho que ejetam materiais a altitudes menores que 20 km e persistem por segundos até alguns minutos. São caracterizadas por violentas explosões, ejeção de fragmentos balísticos (blocos e bombas), ondas atmosféricas de choque e emissão de tefra.
  • Escória (Scoria): Um fragmento piroclástico com tamanho de bomba (> 6,4 cm) que é irregular na forma e geralmente muito vesicular. É comumente mais duro, mais escuro e mais cristalino que o púmice.
  • Escudo sem Raíz (Rootless Shield): São fluxos de lava empilhados sobre um tubo de lava.
  • Espinhos (Spines): Projeções com forma de espinhos formados sobre um domo de lava.
  • Evacuação (Evacuate): Movimentação temporária de pessoas para longe de possíveis perigos.
  • Explosão Horizontal (Horizontal Blast): Uma erupção explosiva no qual a nuvem resultante de cinzas e outros materiais piroclásticos move-se horizontalmente e lateralmente em vez de verticalmente.
  • Extrusão (Extrusion): A emissão de material magmático na superfície terrestre. Também, a estrutura ou forma produzida pelo processo (p. ex. um fluxo de lava, domo vulcânico, ou certas rochas piroclásticas).

F

  • Falha (Fault): Uma fenda ou fratura na superfície terrestre no qual um dos lados se movimenta em relação ao outro. Movimento ao longo de uma falha pode provocar terremotos ou pode permitir a um magma ascender até a superfície.
  • Fenocristais (Phenocryst): Um distinto, normalmente grande, cristal imerso em uma rocha ígnea porfirítica.
  • Fissuras (Fissures): Fraturas alongadas ou rachaduras sobre os taludes de um vulcão. Erupções fissurais produzem tipicamente fluxos líquidos, mas fragmentos piroclásticos também podem serem ejetados.
  • Fluxo de Cinzas (Ash Flow): Uma mistura de fragmentos de rochas e gases, a maior parte do qual são partículas do tamanho de cinzas, ejetados violentamente a partir de uma fissura ou cratera. A massa de piroclastos é normalmente de muito alta temperatura e move-se rapidamente para baixo ao longo dos taludes do vulcão ou junto ao nível superficial.
  • Fluxo de Detritos (Debris Flow): Uma mistura de detritos rochosos saturados em água que fluem talude abaixo sob a força da gravidade (também é chamado de “lahar” quando os fragmentos são de origem vulcânica).
  • Fluxo de Lama (Mudflow): Um fluxo de material de fina granulometria saturado em água que possuí um alto grau de fluidez durante o movimento. Um fluxo de massa menos saturado é chamado de fluxo de detritos.
  • Fluxo de Lava (Lava Flow): Um transbordamento de lava sobre a superfície a partir de um conduto ou fissura. Também um corpo do tipo lençol ou com forma de língua formada pelo extravasamento de lava.
  • Fluxo Piroclástico (Pyroclastic Flow): Mistura de alta concentração de material piroclástico não selecionado (fragmentos vulcânicos, cristais, cinzas, púmice e fragmentos de vidro) e gases quentes que movem-se a altas velocidades. O termo também pode se referir ao depósito assim formado.
  • Fontes de Lava (Lava Fountain): Coluna de erupção típica de erupções havaianas, mas também observada em erupções estrombolianas, no qual jatos de magma são arremessados ao ar quase que continuamente através do conduto, a alturas que variam de dezenas de metros até a centenas de metros, as vezes atingindo mais de 1.000 m.
  • Força Geotermal (Geothermal Power): Energia gerada pelo uso do calor da terra.
  • Fratura (Frature): Superfícies nas quais um material rochoso ou mineral perde a sua coesão, quebrando. São as feições geológicas mais observadas em afloramento de rocha. Podem ser distinguidas pelo movimento relativo que ocorreu sobre a superfície fraturada durante a sua formação. Em fraturas de extensão (Tipo I) o movimento relativo é perpendicular as paredes da fratura (também chamadas de juntas), enquanto que em fraturas de cisalhamento o movimento relativo é paralelo a superfície. Pode-se também distinguir dois tipos de fraturas de cisalhamento, uma em que o movimento é um deslizamento perpendicular a margem da fratura (Tipo II) e outra na qual o movimento é um deslizamento paralelo a margem da fratura (Tipo III). Uma fratura que tem componentes de deslocamentos tanto paralelos como perpendiculares a superfície é denominada como uma fratura de extensão obliqua, ou fratura do tipo mista.
  • Fumarola (Fumarole): Vapores e gases emitidos por um conduto ou abertura. Crateras de muitos vulcões dormentes contém fumarolas ativas.

G

  • “Guyot”: Um tipo de monte vulcânico submarino já extinto que possui um topo plano.

H

  • Hialoclastitos (Hyaloclastite): Um depósito de agregados clásticos formados pelo fluxo ou entrada de lava (ou magma) dentro d’água, gelo, ou sedimentos saturados de água, com característica textura granular ou quebradiça de pequenos fragmentos angulares.
  • Hipabissal (Hypabyssal): Uma intrusão rasa de magma ou a rocha solidificada resultante.
  • Hipocentro (Hypocenter): O lugar ou o foco onde um terremoto ocorre. Os focos se situam a uma profundidade de até 700 km. Dentro desta faixa, eles são classificados como rasos (profundidade entre 0 e 70 km), intermediários (entre 70 e 300 km de profundidade) e profundos (abaixo de 300 km de profundidade).
  • Hornitos (Hornitos): São pequenos cones que formam-se em torno de um conduto ou sobre a superfície de um fluxo de lava basáltica (normalmente pahoehoe). Tipicamente, hornitos possuem flancos íngremes e formam montes ou picos.

I

  • Inclinação (Tilt): O ângulo entre o talude de uma parte de um vulcão e alguma referência, que pode ser o talude de um vulcão a algum prévio tempo.
  • Inclinômetro (Inclinometer): Um instrumento utilizado para medir o ângulo de inclinação ou elevação de um terreno. em terrenos vulcânicos, é empregado na medição de intumescimento e esvaziamento de um flanco de um edifício vulcânico.
  • Ignimbrito (Ignimbrite): A rocha formada pela deposição e consolidação de fluxos de cinzas e nuvens ardentes.
  • Intensidade (Intensity): É uma medida subjetiva que descreve quão forte uma onda sísmica foi sentida em local particular. Em outras palavras, mede os efeitos de um terremoto em um determinado lugar. A intensidade, expressa pela Escala Modificada de Mercalli, depende não somente da magnitude de um terremoto, mas também da distância desde um epicentro e a geologia local. A Escala Modificada de Mercalli varia de I a XII. Assim, os terremotos de Intensidade I não são normalmente sentidos pela maioria das pessoas em um determinado local exceto por umas poucas pessoas localizadas em condições especiais favoráveis, enquanto que terremotos de Intensidade XII provocam danos totais.
  • Intrusão (Intrusion): O processo de posicionamento de magmas em rochas previamente formadas. Também, o termo refere-se as rochas ígneas formadas dentro das rochas encaixantes.

J

  • Junta (Joint): Uma superfície fraturada em uma rocha, no qual o deslocamento ocorreu perpendicularmente as paredes da fratura.
  • Juvenil (Juvenile): Material piroclástico derivado diretamente de um magma que alcança a superfície.

K

  • “Kipuka”: Termo havaiano utilizado para designar uma área circundada por um fluxo de lava.

L

  • Lacólito (Laccolith): Um corpo de rocha ígnea intrusiva com base plana e com forma de domo no topo. É paralelo as camadas situadas acima e abaixo dele.
  • Lago de Lava (Lava Lake/Pond): Como o próprio nome diz, é um lago de lava, comumente basáltico, em uma cratera ou depressão vulcânica. O termo refere-se aos estágios solidificados ou parcialmente solidificados, bem como a um lago de lava fundida.
  • Lágrimas de “Pele” (Pele Tears): Pequenas gotas solidificadas de vidro vulcânico.
  • “Lahar”: Palavra de origem Indonésia, relacionada a um fluxo torrencial de fragmentos detríticos vulcânicos saturados com água que se deslocam pelos flancos de um vulcão em função da gravidade.
  • Lápili (Lapilli): Literalmente, “pedras pequenas”. Fragmentos de rocha vulcânicos angulares a arredondados, medindo entre 2 mm e 64 mm, que podem ser ejetados em um estado sólido ou plástico (semi-fundido).
  • Lava: Rocha parcialmente ou totalmente fundida (o magma) que alcançou a superfície através de uma erupção vulcânica. O termo é muito comumente aplicado a correntes de rocha líquida que fluem desde uma cratera ou fissura, e também refere-se a rocha solidificada.
  • Lava “aa” (aa Lava): Lava que possui superfícies extremamente irregulares, frequentemente fraturadas, e cobertas por fragmentos irregulares, ásperos e retorcidos com dimensões típicas de centímetros até decímetros.
  • Lava Acrecionária (Accretionary Lava Ball): Uma massa arredondada, que varia em diâmetro desde uns poucos centímetros até muitos metros, transportados para a superfície de um fluxos de lava (p.ex., ‘a’a) ou sobre os taludes de cones de cinzas. São formados pela moldagem de lavas viscosas ao redor de um núcleo de lava solidificada.
  • Lava em Almofada (Pillow lava): Corpos de lava interconectados com forma de almofada formados dentro d’água.
  • Lava em Blocos (Block Lava): Lava que também possui superfícies fraturadas e é coberta por fragmentos vulcânicos, como as lavas do tipo aa; mas diferem destas porque seus fragmentos são mais lisos, planares e angulares e possuem dimensões comuns entre decímetros até metros.
  • Lava “Pahoehoe” (Pahoehoe Lava): Lava caracterizada por superfícies lisas normalmente contínuas e que podem ser dobradas e amarrotadas em um padrão intricado de cordas. Elas muitas vezes contém uma crosta vítrea e grandes cavidades preenchidas inicialmente por gases (shelly pahohoe), ou podem também ser relativamente densas e pobres em vesículas. Outras vezes, lavas pahoehoe possuem formas de dedos dos pés.
  • “Limu O Pele” (or Pele Seaweed): Lâminas translúcidas e delicadas de respingos (spatter) preenchidas com pequenas bolhas de vidro.
  • Lítico (Lithic): De ou pertencente a uma rocha.
  • Litosfera (Lithosphere): A crosta rígida e o manto mais superior da terra, com espessura na ordem de 100 km.

M

  • “Maar”: Uma cratera vulcânica que é produzida por uma explosão em uma área de baixo relevo que contém água superficial e/ou água subterrânea, sendo mais ou menos circular, e muitas vezes contém um lago ou um pântano no seu interior.
  • Magma: Rocha fundida abaixo da superfície da terra. Magmas são complexas fusões naturais de rochas, de consistência viscosa, com temperaturas que variam entre 1.500°C e 700°C. Magmas quando solidificados formam as rochas ígneas. Magmas são formados por três fases principais: uma fase líquida majoritária (silicatos fundidos e íons metálicos), uma fase sólida (os cristais) e uma fase gasosa.
  • Magnitude: Uma expressão numérica da quantidade de energia liberada por um terremoto, normalmente expressa pela Escala Richter, determinada pela medida da amplitude de ondas sísmicas sobre instrumentos registradores (os sismógrafos). A escala numérica para magnitudes é logarítmica, portanto, as deflexões de um sismógrafo para um terremoto de magnitude 5, por exemplo, são 10 vezes maiores que um terremoto de magnitude 4, e 100 vezes maiores que um terremoto de magnitude 3, e assim por diante.
  • Manto (Mantle): A zona da terra abaixo da crosta e acima do núcleo.
  • “Moho”: Descontinuidade de Mohorovicic. A superfície ou descontinuidade que separa a crosta do manto, que está a profundidade de 5-10 km abaixo do fundo oceânico e em torno de 35 km (em média) abaixo dos continentes (mas 60 km abaixo das montanhas).
  • Monte Submarino (Seamount): Um vulcão submarino.

N

  • “Neck” Vulcânico (Volcanic Neck): Um pilar de rocha maciça mais resistente a erosão que as lavas e rochas piroclásticas (já erodidas) que formavam o cone vulcânico.
  • Nuvens Ardentes (Nuees Ardentes): Um termo francês aplicado a uma massa de cinzas carregada de gases e altamente aquecida que é expelida com força explosiva e move-se com elevadas velocidades sobre os flancos de um vulcão (sinônimo de fluxos piroclásticos).

O

  • Obsidiana (Obsidian): Vidro vulcânico de coloração escura, normalmente riolíticos em composição.
  • Ondas Sísmicas de Corpo (Body Seismic Waves): São as ondas sísmicas que cruzam a Terra. São classificadas em ondas sísmicas de compressão (ou primárias) e ondas sísmicas de cisalhamento (ou secundárias).
  • Ondas Sísmicas de Compressão (Compression Seismic Waves): São ondas sísmicas de corpo que movem-se como um elástico. Quando a onda move-se para a esquerda, por exemplo, ela expande e comprime na mesma direção. Produzem um movimento do solo para frente e para trás na mesma direção que a onda se propaga. Também são chamadas de ondas sísmicas primárias (P).
  • Ondas Sísmicas de Cisalhamento (Shear Seismic Waves): São ondas sísmicas de corpo que provocam o movimento do solo para cima e para baixo, perpendicular a direção de propagação da onda. São também denominadas de ondas sísmicas secundárias (S).
  • Ondas Sismicas Superficiais (Shallow Seismic Waves): São as ondas sísmicas que viajam pela superfície e outras camadas do interior da Terra. São subdivididas em ondas sísmicas superficiais Love e ondas sísmicas superficiais Rayleigh.
  • Ondas Sísmicas Superficiais Love (Love Shallow Seismic Waves): São ondas sísmicas superficiais que provocam um movimento do solo transversal a direção de propagação da onda sísmica.
  • Ondas Sísmicas Superficiais Rayleigh (Rayleigh Shallow Seismic Waves): São ondas sísmicas superficiais que movem o solo em sentido contrário ao da propagação da onda sísmica.

P

  • “Pahoehoe”: Um termo havaiano para lavas com superfícies contínuas, lisas ou na forma de cordas ou dedos.
  • “Pele”: Deusa havaiana do fogo.
  • Peperitos (Peperite): Uma rocha formada pela mistura de lava coerente ou magma com sedimentos úmidos não consolidados, e caracterizados por uma textura clástica no qual qualquer dos componentes pode formar a matriz.
  • Perigo Vulcânico (Volcanic Hazard): É a existência de de uma condição dentro da qual um processo potencialmente perigoso deverá ocorrer.
  • Piroclastos (Pyroclastic): Material vulcânico clástico fragmentado formado por uma explosão vulcânica ou ejeção a partir de um conduto vulcânico.
  • Plataforma (Bench): A mais nova área de praia, instável, formada a partir da extrusão de lava no oceano.
  • Plugue (Plug): Lava solidificada que preenche o conduto de um vulcão. É usualmente mais resistente a erosão que o material que compõe o cone circundante, e pode permanecer ereto como um pico (cume) solitário, quando o resto da estrutura for erodido.
  • Pluma Eruptiva (Eruptive Plume): Veja Coluna Eruptiva (sinônimo).
  • “Pluton”: Uma grande intrusão ígnea formada a profundidades variadas na crosta.
  • Ponto Quente (Hot Spot): Um centro vulcânico, com 100 a 200 km de profundidade e persistente no mínimo por algumas dezenas de milhões de anos. É a expressão superficial de uma pluma ascendente de material mantélico quente. Pontos quentes não são ligados a arcos magmáticos e podem não serem associados com cordilheiras oceânicas.
  • Profundidade Focal (Focal Depth): Refere-se a distância do hipocentro (foco) à superfície.
  • Propagação do Assoalho Oceânico (Seafloor Spreading): O mecanismo pelo qual nova crosta oceânica é formada nas cordilheiras oceânicas e lentamente desloca-se para longe quando as placas estão se separando.
  • Púmice (Pumice): Rocha vulcânica vesicular de coloração clara, comumente de composição dacítica ou riolítica, formada pela expansão de gases em uma lava.

Q

  • Queda de Cinzas (Ashfall/Airfall): Cinzas vulcânicas que caem de uma nuvem de erupção. Um depósito assim formado é usualmente bem selecionado e estratificado.

R

  • Reservatório Hidrotermal (Hydrothermal Reservoir): Uma zona subterrânea de rocha porosa contendo água quente, por exemplo em um gêiser.
  • Repouso (Repose): O intervalo de tempo entre erupções vulcânicas.
  • Rifte (Rift): As cordilheiras oceânicas formadas onde as placas tectônicas são separadas e uma nova crosta está sendo formada. Também, o termo é aplicado para as estruturas terrestres de idênticas origens, tais como o Rifte do Leste Africano.
  • Riodacito (Rhyodacite): Uma rocha extrusiva no qual a composição é intermediária entre dacito e riolito.
  • Riolito (Rhyolite): Rocha vulcânica (ou lava) que geralmente possui coloração clara, contém 69% ou mais de sílica (SiO2), rica em potássio (K) e sódio (Na).
  • Risco Vulcânico (Volcanic Risk): É o grau de probabilidade de perda de vida, propriedade ou capacidade produtiva se o processo de perigo ocorrer.
  • Rocha Ácida (Acid Rock): Um termo descritivo aplicado a rocha ígnea com mais de 60% de sílica (SiO2).
  • Rocha Alcálica (Alkalic Rock): Rocha que contém quantidades médias elevadas de potássio (K) e/ou sódio (Na) acima do grupo de rochas ao qual elas pertencem. Por exemplo, os basaltos que capeiam os vulcões Havaianos são alcálicos.
  • Rocha Básica (Basic rock): Um termo descritivo aplicado a rocha ígnea (basalto e gabro) com sílica (SiO2) entre 44% e 52%.
  • Rocha Encaixante (Country Rock): A rocha que circunda uma intrusão ígnea.
  • Rocha Félsica (Felsic Rock): Uma rocha ígnea que tem abundantes minerais de cores claras.
  • Rocha Intermediária (Intermediate Rock): Um termo descritivo aplicado a rocha ígnea que é transicional entre termos básicos e ácidos, com teor de sílica (SiO2) entre 54% e 65%.
  • Rocha Máfica (Mafic rock): Uma rocha ígnea composta de um ou mais minerais de cores escuras.
  • Rocha Peralcalina (Peralkaline Rock): Rocha ígnea no qual a proporção molecular de óxido de alumínio (Al2O3) é menor que os óxidos de sódio (Na2O)e potássio (K2O) combinados.
  • Rocha Ultramáfica (Ultramafic Rock): Rocha ígnea composta de minerais máficos, como por exemplo o hipersteno, a augita e/ou olivina.

S

  • Shoshonito (Shoshonite): Um traquiandesito composto de fenocristais de olivina e augita em uma massa de labradorita com margens de feldspato alcalino, olivina, augita, leucita e vidro vulcânico.
  • Sílica (Silica): Uma combinação química de silício (Si) e oxigênio (O).
  • Sismógrafo (Seismograph): Um tambor rotativo que registra em um sismograma os traços das ondas sísmicas, isto é, as vibrações emitidas pela terra e captadas pelo sismômetro.
  • Sismômetro (Seismometer): Sonda muito sensível introduzida na terra para detectar os movimentos sísmicos que são transmitidos diretamente para o sismógrafo.
  • Sismômetro Telemétrico (Telemetric Seismometer): Sismômetro instalado num vulcão e que envia sinais sísmicos diretamente ao sismógrafo de um laboratório.
  • “Skylight”: Uma abertura formada pelo colapso do teto de um tubo de lava.
  • Soleira (Sill): Uma intrusão ígnea que possui superfícies de topo e base paralelas ao acamadamento das rochas encaixantes.
  • “Solfatara”: Um tipo de fumarola, no qual os gases são caracteristicamente sulfurosos.
  • “Spatter”: Fragmentos muito fluídos de lava ejetados a partir de um conduto que respingam e congelam sobre a superfície de um terreno. Tipicamente, “spatters” podem construir paredes de lava solidificadas em torno de um único conduto, formando um cone (“spatter cone”), ou ao longo de ambos os lados de uma fissura, construindo uma muralha (“spatter rampart”).
  • “Spatter Cone”: Um cone baixo com lados íngremes, formados por respingos de lava (spatter) sobre uma fissura ou conduto. Normalmente é composto por material basáltico.
  • “Spatter Rampart”: Uma cordilheira de material piroclástico resfriado (normalmente basáltico) construída sobre uma fissura ou conduto.
  • “Surge”: Uma nuvem turbulenta de gases e detritos sólidos suspensos, com baixa concentração de partículas, que move-se radialmente a altas velocidades como um fluxo de densidade desde a base de uma coluna de erupção vertical acompanhando uma erupção vulcânica ou formação de uma cratera.

T

  • Tectônica de Placas (Plate Tectonics): A teoria pela qual a crosta terrestre é quebrada em torno de 10 fragmentos maiores (placas tectônicas) que são movidos uns em relação ao outros, movendo continentes, formando novas crostas oceânicas, consumindo crostas oceânicas antigas, e estimulando erupções vulcânicas.
  • Tefra (Tephra): Materiais piroclásticos de todos os tipos e tamanhos que são erupcionados a partir de uma cratera ou conduto vulcânico e depositados pela gravidade.
  • Tefrocronologia (Tephrochronology): A coleta, preparação, descrição petrográfica e datação da tefra.
  • Terremotos (Earthquakes): Terremotos são vibrações da crosta terrestre, provocadas por uma abrupta liberação de energia. Esta energia pode ser gerada por um rápido movimento de segmentos da crosta, por uma erupção vulcânica ou um evento explosivo gerado pelo homem.
  • Terremotos de Alta Freqüência (High-Frequency Earthquakes): Os eventos sísmicos de alta freqüência ou de curto período, também chamados de terremotos vulcano-tectônicos, são sinais de fraturamento das rochas por pressão que exerce o magma e os fluídos na rocha encaixante. A pressão se transmite através das rochas e finalmente se concentram e se liberam em zonas frágeis alijadas da fonte de pressão. Ocorrem predominantemente em enxames nos vulcões. Eventos sísmicos de alta freqüência tem claras ondas P e S e as freqüências dominantes são de 5-15 Hz. Podem ser subdivididos em dois tipos, A e B. Os tremores vulcano-tectônicos do tipo A são mais profundos e refletem a ascensão de magma, enquanto que os tremores vulcano-tectônicos do tipo B mostram um fraturamento das rochas encaixantes mais superficial.
  • Terremotos de Baixa Freqüencia (Low-Frequency Earthquakes): Os eventos sísmicos de baixa freqüência ou de longo período são tremores que geram-se por movimentos de fluídos em uma câmara magmática. Estes fluídos podem ser gases magmáticos, magma, água (ou vapor de água) ou uma mistura de todos eles. Estes eventos muitas vezes possuem ondas P emergentes, falta de ondas S e possuem freqüências dominantes entre 1 e 5 Hz, com 2 e 3 Hz muito comuns.
  • Terremotos de Explosão (Explosion Earthquakes): Terremotos relacionados com explosões acompanham erupções explosivas, e muitos são caracterizados pela presença de ondas de choque nos sismogramas. Há um particionamento da energia na fonte: parte da energia se movimenta através do terreno como onda sísmica, e parte viaja através do ar como ondas acústicas. A onda acústica junta-se novamente com a onda sísmica um pouco antes de serem registradas pelo sismógrafo.
  • Terremotos Híbridos (Hybrid Earthquakes): Terremotos híbridos ou de médio período são uma mescla dos tremores de longo período e dos tremores vulcano-tectônicos e representam uma mistura desses processos. Ocorrem pela desgaseificação do magma (o magma se separa em uma fase gasosa e uma fase líquida) em profundidade ou por fraturamento em meios com comportamento frágil. Não há expressões superficiais desse fenômeno, isto é, não se observa uma relação com atividades fumarólicas. Estes eventos ocorrem na forma de enxames em períodos de intensa atividade freática.
  • Terremotos de Muito Baixa Freqüência (Very-Low-Frequency Earthquakes): Eventos sísmicos de muito baixa freqüência ou muito longo período associados com erupções ou vigorosas atividades fumarólicas, possuindo muito pequenas amplitudes.
  • Terremotos Superficiais (Superficiais Earthquakes): Sinais sísmicos locais provocados por processos superficiais. Estes incluem avalanches, queda de rochas, fluxos piroclásticos e fluxos de lama.
  • Transferência de Calor (Heat transfer): Movimento de calor de um lugar para outro.
  • Traquiandesito (Trachyandesite): Uma rocha extrusiva intermediária em composição entre traquito e andesito.
  • Traquibasalto (Trachybasalt): Uma rocha extrusiva intermediária em composição entre traquito e basalto.
  • Traquito (Trachyte): Um grupo de rochas ígneas extrusivas, de fina granulometria, geralmente porfirítica, tendo feldspato alcalino e minerais máficos como os principais componentes, e possivelmente uma pequena quantidade de plagioclásio sódico.
  • Tremor: Terremoto contínuo, de pequena amplitude muitas vezes associado com movimentos de magmas.
  • Tremor Vulcânico (Volcanic Tremor): Tremor vulcânico é um sinal contínuo com uma duração variável (minutos, dias ou mais). As freqüências dominantes dos tremores são 1-5 Hz (2-3 Hz são mais comuns), similares aos eventos de baixa freqüência. Tremor harmônico e tremor espasmódico são dois casos especiais de tremor vulcânico. Tremor harmônico é uma onda de baixa freqüência, muitas vezes senóide, com amplitude suavemente variada. Tremor espasmódico é um sinal de alta freqüência, irregular e pulsante.
  • “Tsunami”: Uma grande onda oceânica produzida por um terremoto submarino, erupção vulcânica submarina ou um grande deslizamento de material (vulcânico ou não) dentro do mar.
  • Tubo de Lava (Lava Tube): Um túnel formado quando a superfície de um fluxo de lava resfria e solidifica, ao passo que o interior do fluxo continua se movimentando, fundido e fluído.
  • Tufo (Tuff): Rocha formada por material piroclástico do tamanho cinzas.
  • “Tuff Cone”: Um tipo de cone vulcânico formado pela interação de magma basáltico e água. São menores e mais íngremes que um “tuff ring”.
  • “Tuff Ring”: Uma grande acumulação de detritos hialoclásticos, com baixos taludes, construídos ao redor de um centro vulcânico localizado em um lago, zona costeira, pântano ou área de abundante água subterrânea.
  • “Tumulus”: Um domo ou pequeno monte sobre um fluxo de lava originado pela diferença de pressão entre a crosta mais fria e a lava mais fluída abaixo.

V

  • Vesícula (Vesicle): Uma cavidade formada em rochas vulcânicas durante a solidificação devido a saída de gases do magma.
  • Viscosidade (Viscosity): Uma medida da resistência de um líquido para fluir (água tem uma baixa viscosidade enquanto que o mel tem uma alta viscosidade).
  • Vulcano (Vulcan): Deus romano do fogo.
  • Vulcão (Volcano): Um conduto na superfície terrestre através do qual um magma, materiais piroclásticos e gases associados erupcionam. Também, a forma ou estrutura (normalmente cônica) que é produzida por material ejetado.
  • Vulcão Ativo (Active Volcano): Um vulcão que está em atividade; a atividade pode ser emissões de gases, erupções efusivas (não explosivas) de lava até explosões extremamente violentas de fragmentos piroclásticos.
  • Vulcão Central (Central Volcano): Um vulcão construído por ejeção de detritos e fluxos de lava a partir de um ponto central, formando um vulcão simétrico.
  • Vulcão Composto (Composite Volcano): Um edifício vulcânico de longa atividade, relativamente grande e íngreme, construído por fluxos de lava e produtos piroclásticos intercalados emitidos por um ou mais condutos, pontuados por episódios de colapsos parciais do cone, reconstrução e mudanças das locações dos condutos ao longo do tempo.
  • Vulcão Combinado (Compound Volcano): Um maciço vulcânico gerado pela migração do conduto em uma área restrita, resultando na combinação de múltiplos cones (ou condutos) proximamente espaçados. Vulcões Combinados envolvem também edifícios vulcânicos que possuem, na sua cratera ou sobre seus flancos, um domo vulcânico associado. Exemplos são o Vulcão Vesúvio (Itália) e o Monte Pelee (Martinica).
  • Vulcão Dormente (Dormant Volcano): O termo é usado para descrever um vulcão que está presentemente inativo mas que poderá erupcionar outra vez no futuro.
  • Vulcão em Estratos (Stratovolcano): Um vulcão composto pela intercalação de fluxos de lava e material piroclástico.
  • Vulcão Escudo (Shield Volcano): São grandes estruturas vulcânicas com amplas áreas de cume e flancos com pequena inclinação, que apresentam um perfil muito parecido com “escudo de guerreiros”. Esse tipo de vulcão é construído quase exclusivamente por fluxos de lava basálticos.
  • Vulcão Extinto (Extinct Volcano): Um vulcão que não está presentemente erupcionando e não é provável que o faça no futuro.
  • Vulcão Monogenético (Monogenetic Volcano): Um vulcão construído por uma única erupção ou uma fase eruptiva que pode persistir por dias, meses ou até alguns anos, mas é essencialmente uma erupção que envolve apenas um tipo de magma.
  • Vulcão Poligenético (Polygenetic Volcano): Um vulcão originado em vários episódios eruptivos, separados por períodos relativamente longos de inatividade, e muitas vezes envolvendo diferentes tipos de magmas.
  • Vulcão de Pontos quentes (Hot-spot Volcano): Vulcão relacionado com fontes quentes mantélicas (p. ex. o Havaí).

X

  • Xenocristal (Xenocryst): Um cristal que lembra um fenocristal em uma rocha ígnea, mas é estranho a rocha em que ele é encontrado.
  • Xenólito (Xenolith): Uma inclusão estranha em um rocha ígnea.

Z

  • Zona de Rifte (Rift Zone): Uma zona de feições vulcânicas associadas com diques subjacentes. A locação de um rifte é marcada por rachaduras, falhas e condutos.
  • Zona de Subducção (Subduction Zone): A zona de convergência de duas placas tectônicas, uma das quais (a mais densa) é empurrada e consumida por baixo da outra (menos densa).
Referências: Volcano World 

 

©2018 VULCANOtícias     -     Erupções | Vulcanologia | FotografiasFale Conosco

 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?