Indonésia – Caldeira Sand Sea

Fotografia gentilmente cedida à VULCANOtícias pelo Geol. e Prof. Evandro Lima (UFRGS)

 

Caldeira Sand Sea (Mar de Areia), com 9×10 km de largura, está localizada dentro de um complexo formado com mais quatro caldeiras, que juntas formam uma outra caldeira ainda maior, denominada de Caldeira Tengger. Das cinco caldeiras individuais, a Caldeira Sand Sea é a mais jovem, formada durante o final do Pleistoceno e início do Holoceno. Um grupo de cones pós-caldeira foram construídos sobre o fundo da Caldeira Sand Sea nos últimos milhares de anos. Dentre estes cones destacam-se os Montes Batok (em repouso) e o Monte Bromo (ativo)(Global Volcanism Program).

Desde o começo de sua evolução, a atividade na Caldeira Tengger tem sido dominada pela erupção de rochas de composição basáltica até andesítica. As rochas basálticas são principalmente encontradas em fluxos de lavas da fase de atividade pré-caldeira. Todos os fluxos de lavas recentes da fase eruptiva pós-caldeira são de natureza andesítica, como são as mais recentes erupções do vulcão Bromo (Photovolcanica).

Todas as fotografias abaixo foram cedidas à VULCANOtícias pelo Geólogo e Professor Evandro Lima da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Pode-se observar a Caldeira Sand Sea em toda a sua magnitude, com o Monte Batok em primeiro plano, e um pouco mais para trás, o Monte Bromo, expelindo uma forte coluna esbranquiçadas de gases e vapores (sem cinzas). Ao fundo, destaca-se o vulcão Semeru, que nas últimas duas fotografias, aparece expelindo uma forte coluna de cinzas, produto de um evento explosivo de pequenas dimensões.

 

Fotografia gentilmente cedida à VULCANOtícias pelo Geol. e Prof. Evandro Lima (UFRGS)

O vulcão Batok, atualmente em repouso, é visto na fotografia a esquerda, mostrando o seu topo plano e os flancos recortados por profundas ravinas.

 

As próximas três fotografias mostram a parede lateral e o assoalho da cratera do vulcão Bromo, onde uma espessa coluna de gases e vapores escapa através do conduto principal. Uma erupção repentina em 2004 no vulcão Bromo, sem qualquer aviso precursor, provocou a morte de dois turistas e ferimentos em várias outros.

Fotografia gentilmente cedida à VULCANOtícias pelo Geol. e Prof. Evandro Lima (UFRGS)Fotografia gentilmente cedida à VULCANOtícias pelo Geol. e Prof. Evandro Lima (UFRGS)Fotografia gentilmente cedida à VULCANOtícias pelo Geol. e Prof. Evandro Lima (UFRGS)

 

©2018 VULCANOtícias     -     Erupções | Vulcanologia | FotografiasFale Conosco

 

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?